diego dacal

Profissionais que se destacam mais que seus veículos

Hoje vi um post no Comunique-se que se chama Profissionais da comunicação se destacam mais que seus próprios veículos no Twitter. Em resumo, o post do Comunique-se mostra a quantidade de followers de apresentadores ou pessoas do mundo da televisão, e esse número muitas vezes se mostra maior que o da própria emissora.

Não esquecendo do nosso micromegamundo de Mídias Sociais, percebo que isso também acontece com a gente (ou com vocês, já que atualmente não faço parte de “a gente”). Por exemplo, o Interney que tem 96.866 followers e em seu bio fala que trabalha na Pólvora!, que por sua vez tem apenas 6.286 seguidores, ou a Miss Moura que tem 6.034 seguidores e é declarada parte da agência Binder que tem apenas 498 seguidores. Na Espalhe nem sequer se trabalha um twitter da agência, sim dos seus sócios ou diretores, como GFortes. Na Ideia s/a o twitter mais trabalhado não é o da própria agência, sim o @midias_sociais e na Frog o trabalho é com o twitter da própria agência.

Enfim, no caso das agências acredito que todas tenham suas estratégias e a trabalhem com competência. Mas ao ler o post do Comunique-se me perguntei: “Qual o motivo das pessoas seguirem as pessoas e não as marcas?”. A primeira resposta que vem a minha cabeça é que o Twitter é uma rede de pessoas, e seguir um famoso, ou um teórico, ou um profissional, acaba por deixar o seguidor mais “perto” deste famoso e conhecer um pouco da vida dele e participar do seu cotidiano.

A imagem desse post foi produzida com o Twilk.

Comentários

Seja o primeiro a comentar neste post!

Deixe um comentário