diego dacal

Ville de Québec, Québec, Canada

chateau frontenac


Exibir mapa ampliado

Essa é outra cidade que possui um rio como referência. A Ville de Québec, como é chamada em francês, fica às margens do Rio São Lourenço, e há aproximadamente 180Km da principal cidade da província de Québec, Montréal. Ao contrário do que pode-se pensar, a capital da província não é a populosa Montréal, sim a pequenina e aconchegante Ville de Québec.


Esta província canadense possui um sentimento separatista muito grande, muito provavelmente gerado pela diferença na língua. Ao contrário do que se pensa, o Canadá não é bilingue no sentido de todos falarem duas línguas. Em Québec, as vezes, é raro encontrar quem fale inglês. O movimento separatista já tentou por quatro vezes criar um novo país, mas todas as vezes obtiveram insucesso.
O slogan separatista, que é exibido em peq
uenas placas em diversas casas da cidade e da província diz “Une nouvelle pays pour le monde, Québec.”

Minhas percepções:

A cidade é muito agradável, acolhedora. Eu fui lá no final do outono, ou seja, as temperaturas já estavam abaixo de 0°, mas ainda sem neve (ahhhh). Mas essa temperatura dava clima especial à cidade, pessoas bem vestidas, mas sem roupas impermeáveis, poucos turistas nas ruas, um rink de patinação frequentado por crianças de todas as idades.
Québec ainda conta com um circuito, que é possível se fazer caminhando um dia todo a pé, onde você caminha às margens do Rio São Lourenço, passa pelas muralhas da “Citadelle”, conhece os Champs de Bataille, as Plains d’Abraham, as Tour Martello que guardavam canhões para defender a costa, la Coline Parlamentaire, e ainda tem o Chateau Frontenac (foto acima), o Promenade des Governeurs que é um passeio próximo ao Frontenac com belíssimas paisagens e linhas dinâmicas para serem fotografadas.
Um pouco mais longe da cidade é possível encontrar uma cachoeira de 80m, a Chute Montmorency. Visitar esta cachoeira com temperaturas inferiores a 0° exige roupas bem quentes, pois o “vapor” d’água liberado pela queda dá uma sensação térmica muito inferior ao que realmente está. Estas gotículas d’água que escapam da queda formas incríveis esculturas de gelo mais abaixo da queda.

Como chegar?

A cidade conta com um pequeno e tímido aeroporto, sem muita estrutura, mais parecendo um aeroparque. Meu avião, bimotor turbohélice, da Jazz Aircanada, saiu de Toronto e em poucas horas estava em Québec.
Saí em direção à Montréal de trem, de uma estação muito charmosa, com a companhia Via Rail.
Além destes meios acredito que hajam ônibus que cheguem facilmente à cidade.

Uma música

21/05/2010

Comentários

Seja o primeiro a comentar neste post!

Deixe um comentário