diego dacal

O Futebol e a Cerveja

Fazia tempo que não ia ao Maracanã, mas neste último sábado estive lá para prestigiar uma das semi finais da Taça Rio, entre Vasco e Botafogo.
Ao chegar no entorno do estádio Mário Filho, uma das primeiras cenas que vi foi a de um homem com um isopor pendurado em seu pescoço vendendo uma latinha para dois outros rapazes que chegavam para assistir o jogo. De surpresa chegam dois guardas municipais e o homem com isopor leva um susto e aparentemente começa a se explicar para os guardas, então, um dos guardas enfia a mão dentro do isopor e pega uma latinha e logo após este fato manda o homem com isopor embora, e ele sai correndo desesperado. Neste momento eu já estava pensando que ele havia roubado aquela latinha para beber e estava xingando-o de todos os nomes feios e sujos existentes na face da terra. Mas então que ele pega a latinha, atira ao chão e pisa com toda sua força, explodindo a lata e espirrando aquele líquido em todos q estavam em volta.
Bom, esta foi uma forma de repressão adotada pelos agentes da guarda, que deveriam coibir a venda de bebidas no entorno do estádio. E, ao invés de confiscar toda sua mercadoria, confiscaram apenas uma, mandaram o ambulante embora e destruiram aquele item (Aqui não pretendo debater se a ação dele foi correta ou não). Pouco depois fui perceber que aquilo que ele destruiu era uma lata de cerveja. E ligando os fatos de notícias antigas que leio, me lembrei que é proibido vender bebidas alcoólicas em estádios de futebol e suas redondezas.
Assim que entrei no estádio também foi engraçado. Fui comprar um refrigerante e vi na placa de preços algo escrito desta forma: “Cerveja S.A. – R$3,00″. Pensei eu em minha total inocência, “seria este SA Sociedade Anônima?”, mas não esta sigla quer dizer “Sem Álcool”. É mais uma vez a lei sendo posta em prática no estádio.
Assim que me encaminhei para a arquibancada a primeira coisa que vi no campo, depois daquele verde todo, foram uma placas vermelhas com um texto em amarelo (no melhor estilo excitação capitalista) que dizia “Itaipava”. Curioso, não? É proibida a venda de bebidas alcoólicas no estádio, mas a sua propaganda está ok? Algum de vocês (se é que alguém lê isso) já assistiu jogo em algum buteco pé sujo de esquina? Já viu como os ânimos ficam tão aflorados quanto ao de pessoas que estão em um estádio? Então qual é a diferença entre se vender cerveja no estádio e estimular visualmente milhares ou milhões de pessoas que estão vendo o jogo em butecos e bebendo cerveja (e não Itaipava)? Não seria o caso de se proibir o patrocínio aos esportes de cervejas? Ou para este caso abre-se uma exceção como o que foi feito para o Cigarro na Fórmula 1?

Quer saber mais de futebol?
Ou de Cerveja?

14/04/2009

Comentários

  • 22/05
    12:38

    publicidade de alcool deveria ser proibido como os cigarros, pelo menos na tv né…

Deixe um comentário